sábado, 15 de junho de 2013

Mariazinha

Ei amiga, você não sabe mas já dividi muitos silêncios com você. Não é porque nunca nos vimos pessoalmente que não vivemos momentos presenciais sem palavras.
Estar com uma pessoa em silêncio e se sentir reconfortado e compreendido é um dos maiores prazeres que o ser humano pode vivenciar, e nossa distância física não impede isso, por mais estranho que possa parecer já estive silenciosamente ao seu lado, e você ao meu.
Nossas almas estão próximas embora os corpos distantes, e muitas vezes, como hoje, me reportei ao seu lado em silêncio. Você esteve comigo.
Não queria falar com ninguém mas queria ser compreendida por isso voei até você. Meu pensamento te abraçou, te viu, te sentiu.
Me alimentar de todas as memórias que temos me faz mais forte, mais sábia, mais humana. Não preciso olhar nos seus olhos pra saber certamente que olhar você me daria ao me ouvir, tudo que vem de você fica marcado em mim de forma irremediável pois vai além dos sentidos usuais, percorre tempo e espaço e fixa-se no coração, profundamente.
Hoje não quis te falar sobre minhas dores, angústias, dúvidas e tristes constatações, quis apenas me lembrar que você existe e te falar sem palavras que te amo.
Sou agradecida à vida por te ter. Por saber que estais ai, e mesmo assim sempre aqui.
Sinto que nenhum ser humano me entende como você, pois são meias palavras e tudo absolutamente compreendido. Quase impossível diria os que relegam à linguagem a apenas uma esfera da comunicação, mas conosco é isso que acontece né?
Sou errante, fraca e insegura, temo a vida e a morte, tenho poucas certezas e a perda da racionalidade é mais constante do que gostaria, mas você me entende.
O que posso querer mais?


3 comentários: